O Museu de Arte Contemporânea de Elvas estabeleceu um plano de atividades para este ano de 2020, e que inclui duas iniciativas.

A iniciativa re-criARTE, que em interação com o público, pretende recriar obras de arte da Coleção António Cachola, em depósito no MACE, e a Peça do Mês, do Museu de Arte Contemporânea de Elvas_Coleção António Cachola, que será colocada no edifício dos Paços do Concelho.

A re-criARTE lança o desafio a todos, para que descubram o  o artista que tem dentro… dentro de casa! Com objetos do dia-a-dia, o desafio é, mensalmente, recriar as obras de arte de vários artistas portugueses que integram a Coleção António Cachola em depósito no Museu de Arte Contemporânea de Elvas. Inspire-se, crie e partilhe connosco!

Para este trabalho pode utilizar os meios, suportes, técnicas e materiais (desde pintura, desenho, fotografia, vídeo ou escrita…) que desejar e no mês seguinte serão publicadas no site do Município de Elvas. Para submeter o registo deve enviar email para servicoeducativo.mace@cm-elvas.pt

A Instalação “O Estado do Sono” de Susanne Themlitz

O Estado do Sono (The State of Drowsiness), 2008

Figuras-esculturas, Colmeias (caixas e cortiça) + escadote e troncos para a base, canas, papel de parede, ganchos, tijolos, sacos de plástico (pormenor).

OBJETOS DO QUOTIDIANO A UTILIZAR:

Qualquer objeto que faça parte desta instalação  “O Estado do Sono”.

CONTEXTO

Inspirados na obra “O Estado do Sono” da artista Susanne Themlitz propomos a construção das figuras que conhecemos enquanto dormimos, dando vida às personagens que vivem no nosso imaginário.

Susanne Themlitz nasceu em Lisboa, em 1968. Vive e trabalha em Lisboa e Colónia, na Alemanha. Estudou desenho e escultura na Ar.Co. Foi bolseira da Fundação Gulbenkian em Londres, num intercâmbio do Royal College of Art, e em Dusseldorf, na Kunstakademie, onde fez a pós-graduação Meisterschulere. Foi uma das nomeadas para o Prêmio BES Photo. Foi distinguida, ainda, com Prêmio Amadeo de Souza-Cardoso Vídeo, com Prêmio Video do Festival Internacional de Filme da Figueira da Foz, com o Prêmio de Escultura City Desk, com o Prêmio Vídeo do 4º Festival Nacional de Vídeo de Ovar, e com o Prêmio de Desenho da V Bienal das Caldas da Rainha. Expõe regularmente desde 1992.

A Peça do Mês do Museu de Arte Contemporânea de Elvas – Coleção António Cachola

mês de junho

André Romão

Furniture study (lavoro zero), 2016

Madeira lacada e vinyl
120 x 80 cm
Unique

André Romão é licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Atualmente vive em Berlim, numa residência artística na Kunstlerhaus Bethanien, através de uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 2007 ganhou o Prémio EDP. Embora com um percurso ainda curto, a sua obra tem sido apresentada no Kunsthalle Lissabon e em exposições coletivas na Fundação Calouste Gulbenkian, na EDP/Museu da Electricidade, na Vilanuova Arte Contemporânea em Florença, como na Spzke Island, em Bristol. O seu trabalho encontra-se em coleções públicas e privadas, como é o caso da coleção Madeira Corporate Services, tendo sido incluído na exposição Desenhos (Drawings) A a Z, que teve lugar no Museu da Cidade de Lisboa em 2009 com curadoria de Adriano Pedrosa.