O Movimento Associativo Juvenil, representado pela Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ), consciente que a pandemia causada pelo SARS-CoV-2, obrigou a alterações à ordem social e trouxe desafios para estas associações, nomeadamente em termos económicos, dado que ficaram impedidas de realizar algumas receitas e até de algum financiamento, estabeleceu um plano de ação.

Assim sendo, para além de no terem implementado, no início do mês de março, várias ações preventivas, tais como: criação de planos de contingência e adoção de regras de proteção e resposta à doença; encerramento das suas sedes sociais e espaços culturais, recreativos e desportivos; cancelamento de todas as atividades, projetos, reuniões e formações presenciais; e criação de novas respostas para ajudar a resolver os problemas causados pela Covid-19, entre outras, construiu o Manifesto Associativo COVID-19, elencando necessidades e propostas de medidas de ação para jovens e organizações.

Conheça este documento e as suas implicações aqui.