Vídeos

Investir em Elvas

Património Mundial

Eurocidade Badajoz-Elvas

Patrim. Cultural/Imaterial

Eventos

Qui. Nov. 30 | horas: 18:00 - 09:00PM
Pista de Gelo 2017
Sex. Dez. 15 | horas: 19:00 - 05:00PM
Exposição "108 Roncas" na Casa da Cultura
Sáb. Dez. 16 | horas: 09:00 - 01:00PM
3º Mercado de Natal na Casa das Barcas
Sáb. Dez. 16 | horas: 11:30 - 07:30PM
Presépio ao Vivo na Praça da República
Sáb. Dez. 16 | horas: 11:30 - 05:00PM
Visitas ao Património em Elvas
Sáb. Dez. 16 | horas: 13:00 - 03:00PM
Hóquei no Gelo no Coliseu
Dom. Dez. 17 | horas: 16:00 - 06:00PM
Concerto de Natal da Banda 14 de Janeiro

ver mais [+]

Area Informativa

phone
Apoio ao Munícipe
800 207 969
 
Files-Upload-File-icon
Sugestões para:
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Farmácias de Serviço

Plano Adopção de Animais


Património Religioso

Aljube Eclesiástico
Antiga dependência do Bispado de Elvas que tinha como finalidade ser uma prisão eclesiástica. Foi construído no séc. XVII por ordem do Bispo D. Baltasar de Faria Vilas-Boas,

cujo brasão se pode identificar na fachada do edifício.

 

Capela de Nossa Senhora da Conceição
A capela de Nossa Senhora da Conceição foi construída sobre a Porta da Esquina da muralha seiscentista após esta última ser erigida. No entanto, o templo sofreu grandes modificações nos séculos seguintes como é exemplo a obra que a forrou de azulejaria no séc. XVIII. O interior da capela é revestido por azulejos de desenho variado datáveis de cerca de 1780 e de influência holandesa.

Casa do Cabido
A cidade de Elvas tornou-se sede de um bispado a 9 de Junho de 1570. A partir daí constituiu-se uma corporação capitular com cinco dignidades (deão, chantre, arcediago, mestre-escola e tesoureiro) e doze cónegos. A falta de um espaço adequada ao exercício das funções episcopais levaram o segundo bispo da cidade, D. António Matos de Noronha a entregar ao arquitecto Pêro Vaz Pereira a edificação da Casa do Cabido, cuja primeira pedra foi lançada em 1609. No entanto só no bispado de D. Baltazar de Faria Vilas Boas se fariam as obras da Casa do Cabido que hoje observamos e da autoria de José Francisco de Abreu. Trata-se de um prédio de dois andares com uma arquitectura setecentista de onde se realça a Sala Capitular. A Casa do Cabido após anos de abandono foi convertida em Museu de Arte Sacra e é um local certamente a visitar.

Convento de Santa Clara
O Convento de Santa Clara foi fundado em 1526. Foi o legado de D. Margarida Pereira e de D. Joana de Brito que possibilitou a sua construção, situada na zona alta da cidade no local exacto onde funcionara a albergaria de São Estêvão desde o séc. XIII. A igreja sofreu importantes remodelações ao longo dos tempos, das quais podemos destacar o entalhamento da capela-mor em 1690, e as reconstruções após os bombardeamentos exército espanhol em 1706 e 1711. Já em ruína o convento viu-se abandonado durante o séc. XIX pelo que a Câmara Municipal o decidiu comprar para a sua destruição. Tal não veio a acontecer e o templo foi cedido já em 1953 pela Direcção-Geral da Fazenda Pública à Associação das Irmãs Concepcionistas da Beata Beatriz da Silva que vão reconstruir quase totalmente o convento, funcionando lá desde então uma creche. Com uma fachada simples, o interior da igreja do convento é riquíssimo com um retábulo-mor de opulenta talha dourada e uma pintura representando a “Adoração de Nossa Senhora por São Francisco e Santa Clara”.

Convento de São Francisco
A primeira fundação do convento de São Francisco em Elvas data de 1518 mas a sua localização não satisfez os monges devido à situação insalubre em que se encontravam. O edifício actual teve a sua construção iniciada em 1591 quando D. Fernando da Silva e a sua esposa D. Beatriz de Brito doaram grande parte do terreno. Situado num alto junto ao Aqueduto da Amoreira, o convento tornou-se sempre alvo de assédio em período de guerra, tendo mesmo sido visto por alguns militares como um entrave à cidade. Deste lado o inimigo podia acercar-se sem ser visto e até mesmo instalar-se aqui para atacar. Assim aconteceu em 1658 e 1659 quando os espanhóis o ocuparam para esse efeito e também no início do séc. XIX aquando das invasões francesas. A artilharia da praça deixa o edifício várias vezes em ruína motivo pelo qual foi muitas vezes alvo de reconstruções. O convento de São Francisco de Elvas foi finalmente desocupado em 1834 pela Lei de expropriação dos bens das ordens religiosas, sendo logo em 1842 afecto ao Cemitério Público. Em termos arquitectónicos o edifício está totalmente descaracterizado do seu aspecto inicial devido a obras aqui efectuadas nos séculos XVII, XVIII e XIX. Ainda assim é de uma monumentalidade interessante. O interior da igreja é simples e dá acesso a um claustro pavimentado em calçada portuguesa. Todo o convento sofreu obras de reabilitação e é desde 2006 ocupado pelo Arquivo Histórico Municipal de Elvas.

Convento de São João de Deus
O convento de São João de Deus foi construído em Elvas em 1645 (o primeiro da sua ordem em Portugal) servindo de Hospital Militar. Em finais de 1641 D. João IV ordenou a construção de hospitais militares nas principais praças do país. Assim veio a suceder também em Elvas onde os enfermos militares foram socorridos pelos religiosos da Ordem de S. João de Deus, ocupando o Hospital Militar parte do convento destes frades hospitalários. O edifício foi principiado em 1642 e em 1653 foi ampliado para a construção da Vedoria Geral, no entanto foi sempre pequeno para a quantidade enorme de feridos e doentes que auxiliava. Em 1659, ano da Batalha das Linhas de Elvas contava o hospital com 10 religiosos que podiam atender 350 doentes. O Hospital Militar durou em Elvas até 1976, sendo depois o edifício deixado ao abandono até que em 2004 entrou em fase de reabilitação para ali ser construído o Hotel São João de Deus. A igreja do convento foi construída junto a uma das torres da muralha fernandina que por lá ainda podemos notar. De resto é um templo muito simples e já fechado ao culto.

Convento de São Paulo
Existem frades paulistas em Elvas desde o final do séc. XIV, no entanto o Convento de São Paulo é já obra da viragem do século XVII para o século XVIII. A primeira pedra do templo foi lançada pelo Bispo de Elvas, D. Alexandre da Silva a 28 de Outubro de 1679, custando a obra 28000 cruzados pagos por D. Pedro II. No entanto, a igreja do convento só estaria concluída a 31 de Dezembro de 1721. A extinção das ordens religiosas em 1834 levaria ao fim do convento. Durante uma fase da reabilitação do edifício foram-lhe entaipadas as portas. Aqui funcionou também o Tribunal Militar até 2004.

Igreja das Domínicas
Antigo convento feminino da Ordem Dominicana fundado em 1528. A igreja que hoje observamos foi principiada em 1543, tendo as obras terminado em 1557 no local onde outrora se situava a Igreja da Madalena. É um edifício de rara planta octogonal com um pórtico renascentista e um interior completamente revestido a azulejos. A talha dourada dos altares é obra do final do séc. XVII. A extinção das ordens religiosas em 1834 promoveu o abandono do convento que no entanto viria a durar até 1870, altura em que falece a sua última freira Ana Inácia de Gusmão. No início do séc. XX é decidida a demolição do convento, excepto da igreja. No seu lugar foram construídos um cine-teatro, casas particulares e uma escola primária.

Igreja de Nossa Senhora da Nazaré
Pequena igreja mas de uma beleza singular localizada junto à principal entrada do centro histórico da cidade de Elvas no Viaduto Municipal. É uma construção de 1592, na altura chamada de ermida do Santo Calvário. Pela altura das invasões francesas a igreja foi demolida juntamente com a de São Sebastião para não servir de guarida a estes. Foi reconstruída em 1817.

Igreja de Santa Luzia
Igreja de construção contemporânea situada entre os bairros de Santa Luzia e de São Pedro.

Igreja de São Domingos
Edifício modelo da arquitectura gótica mendicante portuguesa, o Convento de São Domingos foi fundado em 1267 e construído durante o último terço do séc. XIII onde esteve a ermida de Nossa Senhora dos Mártires. Sofreu várias modificações a partir do séc. XV. No séc. XVII recebe uma nova fachada ao estilo barroco e no século seguinte as capelas laterais em mármore. Durante as Guerras da Restauração, a construção do novo lanço de muralhas coincidia com parte do convento e por esse motivo vai ser demolido o hospício. Em 1834 após a extinção das ordens monásticas o que restou do convento foi secularizado ao albergar um quartel militar. O edifício tem na fachada um pórtico barroco coroado pelo escudo com as armas dominicanas e no interior três naves e uma cabeceira tipicamente gótica. De grande destaque são ainda os painéis de azulejos que ao longo das paredes vão contando a vida de São Domingos, mas também a Sala do Capítulo com a sua riqueza barroca.

 

FaLang translation system by Faboba

   
  

Redes Sociais

FacebookTwitterRSS Feed
© 2012 Município de Elvas Todos os Direitos Reservados
ブランドコピー スーパーコピーブランド コピーブランド ブランドバッグコピー ブランドコピー時計 ブランドコピー財布